Pastoral da Comunicação

Minha foto
Somos a PAStoral da COMuniçação da Paróquia Nossa Senhora de Fátima em Unamar. Responsáveis por esse blog, temos a missão de manter a comunidade informada sobre os eventos ocorridos em todas as 14 capelas que constituem nossa paróquia! Esperamos que, com a intercessão de São Francisco Salles, possamos cumprir nossa missão e evangelizar através da comunicação!

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

INTENÇÕES PARA O ANO NOVO

Amar a a vida, cada dia, com mais força e com mais fé...
Acreditar no poder da amizade e na alegria de fazer amigos...
Procurar guardar no coração apenas aquilo que constrói, edifica, eleva...
Alimentar sonhos, mesmo que pareça, impossíveis...
Conservar a esperança de que muita coisa pode ser mudada, não importa o tempo da espera...
Perseguir o ideal almejado, com todas as forças do corpo e da alma...
Ser em cada novo dia do Ano Novo que começa aquele que auxilia e acalma...
Olhar o outro como companheiro, complemento, razão de enriquecimento e crescimento, sempre...
Jamais desistir, se a causa é justa e verdadeira...
Continuar andando, apesar das quedas inevitáveis...
Valorizar tudo o que mereceu viver até agora, como graças e bênçãos merecedoras de reconhecimento eterno.
Folhinha do Sagrado Coração

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Vim pra ficar na tua casa

Eu vim ao mundo, numa noite fria e eis que nasci em uma pobre manjedoura, pois não havia lugar para mim na hospedaria.
Mesmo diante das circunstâncias que o mundo me ofereceu, recebi um profundo amor de Maria e José meus pais,
que antes do meu nascimento prepararam tudo para a minha chegada.
O tempo foi passando e eu fui crescendo em sabedoria, humildade e fiz a minha opção em buscar as coisas do Pai.
Em virtude desta minha escolha vieram muitas coisas boas, realizei curas, milagres, prodígios, com isso muitas
pessoas mudaram de vida, se converteram, passaram a crer em Deus e suas vidas se modificaram.
Mas ao aceitar os planos do Criador em minha história, apareceram as dificuldades, tribulações e sofrimentos
que me levaram a morte de Cruz.
Apesar de tudo o que passei, se fosse necessário faria tudo novamente, pois o Pai jamais me abandonou.
Lembrando Eu sou filho de Deus e você em mim é um príncipe, uma princesa.

Um Ano Chega ao Fim

Mais um ano chega ao fim.
Para alguns marcados por extrema alegria.
Para outros embargados de dor.
Nesse momento é hora de refletir.
Como foi nosso ano?
Conseguimos conquistar nossos ideais?
Será que realmente lutamos por eles?
Demos o abraço que nosso irmão tanto queria, ou viramos as costas não se importando com ele?
Pedimos perdão pelas nossas falhas, ou o orgulho não deixou?
Fomos amigos e companheiros com nosso colega de trabalho, ou simplesmente fazíamos nosso
trabalho sem se importar com o outro tão perto de nós?
Estivemos presente na vida de nossos filhos, de nossos maridos, esposas?
Enfim, depois de tantas perguntas, de um passo para vitória no ano que vai chegar .
Feliz 2011!!!!

domingo, 26 de dezembro de 2010

SAGRADA FAMILIA

Ainda no clima do Natal a liturgia nos apresenta a FAMÍLIA SAGRADA onde essa criança cresceu e viveu como exemplo e modelo para todas as famílias.

As leituras bíblicas fornecem indicações práticas para nos ajudar a construir famílias felizes, que sejam espaços de encontro, de partilha, de fraternidade, de amor verdadeiro.

A 1ª Leitura desenvolve e explica o 4o Mandamento. Apresenta indicações práticas dos filhos para com os pais. Essa observância é desejada e abençoada por Deus. (Sr 5,2-6.12-14)

A 2ª Leitura mostra o espírito que deve reinar numa família: "Revesti-vos de sincera misericórdia, bondade, mansidão e paciência, suportando-vos uns aos outros e perdoando-vos mutuamente..." (Cl 3,12-21) E acrescenta um recado às Esposas, aos Maridos, aos Filhos e aos Pais.

O Evangelho nos apresenta a FAMÍLIA SAGRADA, em três momentos da Infância de Jesus: Belém, Egito, Nazaré. (Mt 2,13-15.19-23) Nessas migrações, JESUS é conduzido por Deus e protegido por seus pais.

A FAMÍLIA DE NAZARÉ: É uma família como qualquer família de ontem, de hoje ou de amanhã, que se defronta com crises, dificuldades e contrariedade, no entanto, é uma família é unida e solidária.

É uma família onde se escuta a Palavra de Deus e onde se aprende a ler os sinais de Deus. Nessa escuta, consegue soluções para vencer as contrariedades e descobrir caminhos a percorrer, para assegurar a vida e o futuro a seus membros. José aparece como o homem atento às indicações de Deus, que sabe discernir e acatar a vontade de Deus, que tudo sacrifica em defesa da vida daquele menino, que Deus lhe confiou.


É
uma família que obedece a Deus. Diante das indicações de Deus, não discute nem argumenta. No cumprimento obediente aos projetos de Deus, esta família assegura um futuro de vida, de tranqüilidade e de paz. A Sagrada Família, modelo da família cristã?

Costuma-se dizer que a Sagrada Família é modelo da família cristã, não tanto em seu contexto sociocultural e histórico, tão distante do nosso, mas quanto em seus valores fundamentais, especialmente o Amor, que lhe deram coesão, significado e missão de salvação nos planos de Deus.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

NATAL MISSA DO DIA

Natal é uma festa especial, um dia de encanto e magia. É uma festa diferente, porque envolve a totalidade da vida. Na Igreja, o Natal é preparado pelas semanas do advento. Na sociedade, é badalado por semanas de propaganda e comércio. A rica simbologia dessa festa confunde Jesus com Papai Noel, iguala manjedoura com presépio, nivela os pobres José e Maria com todas as mães e pais que sustentam suas famílias, identifica os magos do Oriente com as pessoas que trocam presentes e votos de Feliz Natal. No nascimento de Jesus, o céu e a terra se abraçam, sagrado e profano se fundem, Deus e humanidade se identificam. Tudo porque Deus se encarnou, a divindade se humanizou, o criador se fez criancinha.

Quem não se comove diante do nascimento de uma criança? Cada nenezinho que nasce é um sinal de que a vida não pára. Cada mãe e cada pai que geram uma criancinha garantem que Deus continua amando a humanidade. Cada família que se respeita e se ama é a certeza de que o Natal é aqui e agora. Deus quer manter a sua comunicação conosco. O Natal é um momento próprio para sintonizar essa comunicação divina. Jesus deseja nascer em seu coração. Maria e José batem à porta de sua casa. A família de Nazaré pede licença. Não há lugar para eles na hospedaria. Eles querem hospedar-se com você. Você vai acolhê-los, não vai?

Acolhida é um dos gestos mais nobres do ser humano. Ser rejeitado, ao contrário, é uma experiência muito triste. Pois bem, Jesus foi acolhido por Maria e por José. Mas foi rejeitado por Herodes e pelos grandes da época. Jesus foi acolhido pelos pastores e pelos pobres. Mas foi rejeitado pelos nobres e poderosos, que se sentiram ameaçados. Por isso mesmo, teve de nascer numa gruta, rodeado pelos animais. Recebeu o carinho da mãe e do pai que o amaram profundamente. Nesse amor que gera vida está a essência do Natal.

As leituras deste dia são otimistas. Revestem-se até de um clima de glória, porque nasceu Jesus, o salvador, o messias, o senhor.

Na primeira leitura, Isaías proclama formosos os pés do mensageiro que anuncia a paz. Sobre a cidade de Jerusalém, que era um montão de ruínas, Deus volta a reinar. O clima é de alegria e regozijo. O ideal do profeta é uma sociedade na qual reis e governantes são orientados por um projeto divino. Por isso proclama que só Deus é rei. Se Deus é o único Senhor, todos os demais devem estar a seu serviço. Quando as pessoas deixam Deus entrar em suas vidas, expulsam a corrupção e a injustiça. Como o nosso país necessita, neste Natal, da proclamação de Isaías: “O teu Deus reina”!

Na segunda leitura o menino de Belém é a palavra definitiva de Deus para a humanidade. Deus se comunica de muitos jeitos, mas o seu modo privilegiado de falar é por meio de Jesus. Quem quiser conhecer o Pai, olhe para o filho. Jesus é o melhor recado de Deus para nós. Ele é a primeira palavra do Pai. A leitura afirma ainda que Jesus é o primogênito, isto é, nosso irmão mais velho. Diz também que ele é o herdeiro de todas as coisas. Nesse Jesus todos nós somos filhos de Deus e, portanto, co-herdeiros. Em nossa cultura, Jesus passou a ser o centro da história. Dividimos a contagem do tempo em antes de Cristo e depois de Cristo. Só ele é capaz de dividir o antes e o depois. A festa de Natal foi fixada em vinte e cinco de dezembro, porque esse era o dia da festa do sol. O menino Jesus passa a ser o sol da humanidade. Ele é a verdadeira luz que veio ao mundo, dirá o Evangelho.

Deus é luz, porque se fez um de nós. Na criancinha do presépio qualquer pessoa se identifica. Ali, na manjedoura, qualquer um de nós pode se espelhar. Ninguém chegou à idade adulta sem ter passado pelas fraldas e mamadeiras. Talvez por isso mesmo o Natal fala tanto às crianças. E também por isso, certamente, são tão doces as lembranças dessa festa.

No Natal, Deus e a humanidade se encontram. Isso porém só é possível porque Deus se encarnou, ou, como diz o evangelista João, Deus armou sua tenda entre nós. Deus assume a condição de criança, para que as crianças possam ser como Deus. Em outras palavras, Deus se humaniza para que o ser humano se divinize. Deus se sintoniza conosco para que nos sintonizemos com Ele. Eis o grande mistério do Natal: Deus conosco e nós com Ele.

O menino de Belém é filho de Maria, como é filho de Deus. Ele é a luz que vence as trevas. Ele é a vida que derrota a morte. Enquanto houver Natal, pois, há alegria. Enquanto se celebra essa festa, há esperança. Enquanto Deus está conosco, Ele acredita que nós estamos com Ele. Podemos desejar, com certeza:

Feliz Natal.

NATAL DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO MISSA DA NOITE

Vivemos um tempo de noite escura. A festa do Natal nos encontra perplexos neste ano. Quantas famílias chegam ao natal chorando a perda de pessoas queridas em acidentes, violência. Quantos e quantas andam na escuridão e ainda habitam nas sombras da morte.

Mais uma vez a Palavra de Deus nos encontra em meio à nossa noite e nós, como no tempo do Profeta Isaias podemos ver “uma grande luz”, podemos viver a alegria da vitória sobre o jugo que nos oprime e sonhar com um tempo no qual “botas de tropa de assalto e trajes machados de sangue”, tudo será queimado, devorado pelas chamas.

A voz do anjo aos pastores e a todos nós, reunidos para celebrar o Natal 2010 anuncia “Não tenhais medo! Eu vos anuncio uma grande alegria, que será para todo o povo: hoje, na cidade de Davi, nasceu para vós um salvador, que é o Cristo Senhor”. Para os pastores, o sinal era um recém nascido envolvido em faixas e deitado numa manjedoura. Será que este sinal tem para nós, ainda hoje, a força de uma Boa Nova?

A noite luminosa deste natal nos faz vencer o medo, mas é necessário deixar-se envolver por ela e prestar atenção aos sinais da luz. Entre todos o mais luminoso é o “recém nascido”. A Boa Nova que o anjo anuncia aos Pastores é que este menino não é uma criança qualquer: é o conselheiro admirável, Deus forte, pai dos tempos futuros, príncipe da paz, anunciado pelo profeta Isaias.

Jesus Cristo, o Messias tão esperado para realizar as profecias, assumiu a história humana. Desde que o mistério da encarnação trouxe o amor de Deus para o centro da humanidade, toda criança torna-se um sinal que nos convida a ver a força escondida na fraqueza evidente, a ação da vida vencendo a morte, a esperança no lugar do medo e do desespero.

“Glória a Deus no mais alto dos céus, e paz na terra aos homens por ele amados”! O hino de louvor entoado pelos anjos realiza o sonho de todos nós.

Que neste natal este hino ecoe em nossa vida, transborde em nossas casas e comunidades. Ainda hoje o natal é a festa da luz e do Deus que salva e está no meio de nós. Acolhamos o convite de Paulo a abandonar a impiedade e a viver com equilíbrio, justiça e piedade tornando vivo e presente o mistério da luz que brilha em nossas noites escuras.

Contemplando a simplicidade que Deus escolheu para fazer morada entre nós, aprendamos dele o caminho dos mais simples. No “não lugar” de Belém, sinal da exclusão e da fragilidade de Deus, acolhamos o desejo de Deus que o procuremos “do lado de fora”, à margem, em lugares surpreendentes e inesperados. Foi este lugar que Deus escolheu para a encarnação de seu filho e será este o lugar onde veremos brilhar a luz que ilumina nossas noites e nos faz vencer o medo.

A todos que celebram o mistério do Deus-conosco, um santo e feliz natal!

domingo, 19 de dezembro de 2010

CRISMA 2010
















4° DOMINGO DO ADVENTO

Em nossa preparação para o Natal, a Liturgia desse 4º Domingo do Advento nos apresenta duas figuras importantes, que colaboraram com Deus, na realização do Plano de Salvação: MARIA E JOSÉ.

Na 1aLeitura, ISAÍAS anuncia uma Virgem, que conceberá o "Deus conosco". Is 7,10-14)

A 2ª Leitura, Paulo lembra que Jesus é a boa-nova de Deus há tempos anunciada pelos profetas, nas Sagradas Escrituras, mas judeu de nascimento, da família de Davi. (Rm 1,1-7)

No Evangelho, vemos a plena realização da promessa: Jesus é a "Deus-conosco" que vem ao encontro dos homens para lhes apresentar uma proposta de Salvação. Ele nascerá de MARIA, esposa de um homem bom, justo e honrado chamado JOSÉ, descendente de Davi. (Mt 1,18-24)

A narrativa da situação de Maria e José não deve ser vista como uma descrição de fatos históricos, mas uma CATEQUESE sobre Jesus. Jesus vem de Deus: sua origem é divina. Maria encontra-se grávida por obra do Espírito Santo. O seu Nascimento de uma "Virgem" afirma que Jesus é o Messias anunciado pelos profetas, enviado por Deus para restaurar o reino de Davi.

José desempenha um papel importante: Pela sua obediência silenciosa, realizam-se os Planos de Deus. Confiando na palavra de Deus, penetra na obscuridade do Mistério divino, e se incorpora, com plena disponibilidade, no plano salvador de Deus.

A Virgem Maria nos convida a admirar o que o Senhor operou nela e a acreditar na vitória da vida onde nós só enxergamos sinais de morte.

No Natal, Deus vem ao encontro dos homens para oferecer a Salvação. Esse encontro só será possível se tivermos o coração disponível para o acolher e para abraçar a sua proposta.

O Evangelho nos apresenta DOIS MODELOS de disponibilidade: duas pessoas que tiveram dúvidas sérias sobre o Plano de Deus, mas plenamente disponíveis na realização desse Plano. MARIA está sempre atenta aos apelos de Deus e responde com um "sim" generoso de total disponibilidade. Esse "sim" torna possível a presença salvadora de Deus no mundo.
Sou capaz de dizer "sim" todos os dias, de forma que, através de mim, Deus possa nascer no mundo e salvar os homens?

JOSÉ é um homem a quem Deus envolve nos seus planos misteriosos, mas que tudo aceita, numa obediência total a Deus. Sou capaz de acolher os projetos às vezes misteriosos de Deus, com a mesma disponibilidade de José, em obediência total a Deus?

Somos convidados a preparar o Natal desse ano, com MARIA e JOSÉ...
Se, como Maria e José, acolhermos a mensagem de Deus, acreditando nela, superando o medo e a dúvida...
Se, como Maria e José, nos deixarmos engravidar pelo Espírito do Senhor, emprestando nosso ser, nosso corpo e nossa mente, nosso espírito e nosso tempo, nossa fragilidade e nossa força, para que Deus atue em nós toda nossa vida será um NATAL PERENE, um contínuo DEUS-CONOSCO.

Rachel Malavolti

domingo, 12 de dezembro de 2010

Secretária Eletrônica de Deus

Como seria se Jesus resolvesse instalar uma secretaria eletrônica no céu? Imagine se você começasse a orar e ouvisse a seguinte mensagem:
- Obrigado por ter ligado para a Casa de meu Pai.
Por favor, selecione uma das opções: Petições; aperte a tecla "1".
Ações de graça; aperte "2".
Reclamações; aperte... Veja mais "3".
Qualquer outro assunto; aperte "4".
Imagine se Deus lançasse mão daquela tão conhecida desculpa:
- Neste momento, todos os nossos anjos estão ocupados, atendendo a outros clientes.
Por favor, mantenha-se na linha em atitude de oração.
A sua ligação será atendida na hora em que foi recebida.
Ou Talvez a secretaria oferecesse as seguintes opções: Querendo falar com Gabriel pressione "5".
Com Miguel, pressione "6".
Qualquer outro anjo "7"
Se quiser que o rei Davi lhe cante um salmo, pressione "8".
Querendo reservar um aposento na Casa de meu Pai, pressione as teclas J-O-A-O, em seguida 3-1-6.
Se deseja fazer perguntas bobas sobre dinossauros, a idade da Terra, ou a exata localização da Arca de Noé, por favor, espere chegar ate o céu.
O pior seria se a maquina lhe desse a seguinte advertência: · · Nosso computador avisa que você já ligou dentro das ultimas 24 horas.
Por favor, desligue e deixa a linha aberta para outra pessoa que também queira orar. Ou então: · · O nosso escritório está fechado para o fim-de-semana. Por favor, tente na segunda-feira. Graças a Deus porque não acontece isso. Graças a Deus porque você pode clamar para Deus quantas vezes quiser. Graças a Deus porque, em união com Jesus e pro meio de Jesus, a linha nunca estará ocupada. Graças a Deus porque ele sempre atende imediatamente. Graças a Deus porque ele atende pessoalmente e nos conhece por nome. Graças a Deus porque ele sabe quais são as nossas necessidades, mesmo antes que se complete a ligação. Graças a Deus porque tudo e tão simples: somente precisamos ligar para ele em oração. Não se esqueça, sempre haverá quem atenda. Buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração. Jr 29:13

3° DOMINGO DO ADVENTO

Advento não é propriamente preparar o Natal, mas celebrar a chegada do Senhor. As Leituras bíblicas são um convite muito forte para a ALEGRIA, porque o Senhor, que esperamos, já está conosco e com ele preparamos o Advento do seu Reino. Por isso, o 3º domingo do Advento é chamado "Domingo da alegria".

A 1ª Leitura é um Hino à ALEGRIA. (Is 35,1-6a.10) O profeta prevê a ALEGRIA dos tempos messiânicos: fala do deserto que vai florir, da tristeza que vai dar lugar à alegria. Ele libertará os cegos, os coxos, os mudos de suas doenças. São SINAIS que indicam a chegada de um mundo novo, onde não haverá mais lugar para a doença, a dor e o pranto.

Na 2ª Leitura, Tiago convida à espera com PACIÊNCIA. (Tg 5,7-10)

No Evangelho, Jesus mostra que o mundo novo anunciado pelo Profeta já chegou. O texto tem 3 partes: (Mt 11,2-11)

1. A PERGUNTA de João Batista:
João Batista estava preso por Herodes por reprovar o seu comportamento. No cárcere, ouve falar das obras de Cristo, tão diferente do que se esperava: Ele anunciara um juiz severo que castigaria os pecadores. Ao invés, defronta-se com alguém que se aproxima dos pecadores. Perplexo, envia a Jesus dois discípulos com uma pergunta bem concreta: "És tu aquele que há de vir, ou devemos esperar por outro"?

2. A RESPOSTA de Jesus:
Jesus responde apontando seis sinais concretos de libertação, já anunciados por Isaías há muito tempo: "Ide contar a João o que estais ouvindo e vendo. Jesus mostra a João que as suas obras comprovam a era messiânica, mas sob a forma de atos de salvação, não de violência e castigo.

3. O TESTEMUNHO de Jesus sobre João:
João Batista não é um CANIÇO que verga conforme o vento: não é um pregador oportunista que se adapta conforme a situação. Não é um CORRUPTO que vive na fortuna e no luxo. É muito mais que um PROFETA. "É o maior dos nascidos de mulher".Mas, com surpresa, acrescenta: "No entanto, o menor no Reino dos céus é maior do que ele".

A Liturgia de hoje é um convite forte à alegria: "Alegrai-vos sempre no Senhor, de novo vos digo: alegrai-vos: o Senhor está perto".
Rachel Malavolti

sábado, 11 de dezembro de 2010

domingo, 5 de dezembro de 2010

2° DOMINGO DO ADVENTO

Em nossa caminhada para o Natal, a Liturgia desse domingo nos convida a nos despir dos valores efêmeros e egoístas que muitas vezes nos fascinam, para dar lugar em nós aos valores do Reino de Deus.
As Leituras bíblicas apresentam duas figuras típicas do Advento: Isaías e João Batista.
Na 1ª Leitura, Isaías apresenta um Enviado de Javé, descendente de Davi, com a missão de construir um Reino de Justiça e Paz. (Is 11,1-10)
O Poema dá as características:
- Será descendente de DAVI: (Jessé é Pai de Davi) "Naqueles dias, do tronco de Jessé sairá um ramo e um broto de sua raiz".
- Será animado pelo ESPÍRITO de Deus: (Como na Criação) Sobre ele pousará o Espírito do Senhor: Espírito de sabedoria e inteligência, de conselho e de fortaleza, de conhecimento e de temor de Deus, (de piedade).
- Será portador da JUSTIÇA e da PAZ: "Trará justiça para os humildes..."

Jesus é o "messias" que veio tornar realidade o sonho do profeta. Ele iniciou esse "Reino" novo de justiça, de harmonia, de paz sem fim. Cheio do Espírito de Deus, ele passou pelo mundo convidando os homens a se tornarem "filhos de Deus" e a viverem no amor e na partilha. Mas a profecia está longe de sua completa realização. O Reino novo trazido por Jesus só poderá se estabelecer a partir de nossa conversão pessoal, familiar e comunitária.

Na 2ª Leitura, Paulo exorta os cristãos de Roma a viverem no amor, dando testemunho de união, de amor, de partilha, de harmonia, a fim de que louvem a Deus, com um só coração e uma só alma. (Rm 15,4-9)

No Evangelho, João Bastista anuncia que esse Reino está próximo, mas para que se torne realidade precisa CONVERTER-SE. (Mt 3,1-12).
- Personalidade: É uma figura impressionante, que fascina o povo; Tem um estilo de vida austera: no vestir, no comer, no falar, no morar. Vive no "DESERTO", lugar das privações, do despojamento, mas também lugar tradicional dos encontros entre Deus e Israel.
- Mensagem: É um Apelo à CONVERSÃO. "Convertei-vos, porque o Reino dos céus está próximo..." "Preparai o caminho do Senhor: endireitai as veredas para ele."
- Reação ao Anúncio: O Povo simples: reconhece seus erros e pede o Batismo. Os Fariseus e Saduceus: vão ao encontro de João por curiosidade apenas e são desmascarados: "Raça de cobras venenosas produzam frutos que a conversão exige e não se iludam a si mesmos, dizendo:‘Abraão é nosso Pai' ".

- O Batismo de João: consistia na imersão na água do rio Jordão para as pessoas que aderiam a esse apelo de conversão. Significava o arrependimento, o perdão dos pecados e a agregação ao povo fiel. Mas ele avisa, que aquele que vem depois dele "batizará no ESPÍRITO SANTO e no fogo..."
- Portanto o Batismo de Jesus vai muito além do batismo de João: Confere a quem o recebe, a vida de Deus e torna-o filho de Deus; incorpora-o à Igreja e torna-o participante da missão da Igreja no mundo...

A Voz de João Batista continua convidando à CONVERSÃO. Não é possível acolher "aquele que vem" se o nosso coração estiver cheio de egoísmo, de orgulho, de auto-suficiência, de preocupação com os bens materiais. Se quisermos celebrar a vinda do Senhor e participar do seu Reino, devemos preparar o caminho, mudar o nosso coração. Nesse itinerário, não há espaço para a hipocrisia. Não bastam as aparências, apenas dizer que somos cristãos porque recebemos o batismo. A Conversão deve ser comprovada pela ação. Os Frutos de conversão comprovam a autenticidade da nossa conversão: Não bastam alguns sentimentos religiosos ou algumas práticas piedosas. Precisamos apresentar frutos de conversão: Paz, Fraternidade, Justiça.

Quais os caminhos tortos, que devemos endireitar? Quais os frutos de conversão que Deus está esperando de nós, neste Advento, em preparação ao Natal? Estamos convencidos de que, se não dermos esse passo, nunca será Natal em nós, nem mesmo no dia 25 de dezembro?
Deus espera que tenhamos a coragem de dar esse passo!...
Rachel Malavolti

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Dia 30 de Novembro
Tu és a nossa vida eterna, grande e extraordinário Senhor, Deus todo-poderoso, Salvador misericordioso.
Os poetas e os trovadores, os menestréis e os seresteiros de todos os tempos e lugares, ninguém ainda encontrou a palavra, a nota, o poema para definir, exprimir, sequer para se aproximar da imensidão do amor de Deus, sequer para reverenciar a realeza de Cristo Jesus.Nossa alma volta-se para Ele num interminável movimento de atração, sedução, entrega. Assusta-nos ser tão amados e corresponder ainda tão pouco, talvez porque ainda pouco compreendemos o sentido de misericórdia: compaixão a favor de alguém. O Senhor está sempre a nosso favor.
www.fatima.com.br

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Dia 29 de Novembro
Tu és toda a nossa doçura.
És suavidade, Senhor.Bálsamo e perfume.Silêncio e fogo.Doçura, toda a nossa doçura. Tudo o que me identifica como ser, de meu pensamento a meu ínfimo gesto, de meus afetos a meu respirar, tudo se envolve na tua doçura. Não como um poema, pois Tu és a poesia do universo; não como um devaneio, pois Tu és certeza e segurança; não como uma melodia, pois Tu és a própria música a pulsar na sinfonia do criado.Tu és doçura e bondade infinitas.

domingo, 28 de novembro de 2010

INVESTIDURA DE NOVOS MINISTROS







HOJE DIA 28/11 FORAM INVESTIDOS NOVOS MINISTROS DA NOSSA PARÓQUIA.



Dia 28 de Novembro
Tu és a nossa caridade.
Por que procurar ser bom, fazer o bem, apesar de tudo convidar ao egoísmo, ao prazer, ao individualismo?Resposta única: porque Deus é bom. E não se pode se aproximar dele em linha reta: o caminho que leva a Deus passa pela casa dos irmãos, pelas pontes trincadas, pelas oficinas e escritórios, bancos, escolas e hospitais. É o caminho da caridade. E nós não o inventamos por nós mesmos, mas insuflados pelo Espírito de Deus.Nossa caridade tem fundamento e destino: engendra-se em Cristo Jesus, dele se sustenta e para ele conduz.
www.fatima.com.br
Dia 27 de Novembro
Tu és a nossa fé
É a fé dom e virtude. Dom que é dado por Deus; virtude que a nós compete cultivar, mas que não frutifica senão por Ele e nele.Deus é a nossa fé, porque é sua razão e seu fogo, seu itinerário existencial, sua única razão, explicação e justificativa.Se a fé é a virtude que nos faz caminhar com os olhos fechados, é também a virtude que nos permite ter o coração em chamas.
www.fatima.com.br
Dia 26 de Novembro
Tu és o repouso.
Repousar em Deus não é anular-se, aniquilar-se, desaparecer.Repousar em Deus não é fugir aos desafios e ao cansaço do dia-a-dia, tampouco refugiar-se num imaginário e conveniente paraíso artificial, sem problemas.Deus é o repouso, porque para Ele converge o fruto de nossos esforços, nele se desfaz a fatiga da rotina que parece sufocar os dias, dele emerge o sentido do que parece contradizer a razão. Nele podemos ser quem somos, sem defesas, sem máscaras. Na vigília de todos os tempos, Deus assegura a nossa trégua diante da verdade translúcida. Deixemo-nos recostar em seu peito.
www.fatima.com.br
Dia 25 de Novembro
Tu és a força.
Francisco, nesta mesma belíssima oração, já disse: “Tu és forte.”Agora, ratifica, valida, confirma a mesma idéia: “Tu és a força.”E a força que Deus é move e nutre o universo. Tal como o magma da Terra, Deus é a chama ardente, a energia vivificadora e vivificante de todo o criado.Louvado sejas, Senhor, porque tua é libertação e plenitude.
Dia 24 de Novembro
Tu és o nosso guardião e defensor.
A idéia de proteção, guarda e defesa retornam: Francisco insiste a respeito do cuidado de Deus por nós. Somos defendidos como tesouros, guardados como as pupilas de seus olhos, protegidos como filhos.Lançar-se na aventura de mergulhar na infinitude de Deus, sabendo-se, ao mesmo tempo, livre e guardado, livre e defendido, só nos pode fazer santos.Um santo não é alguém excepcional, mas alguém consciente do amor que o envolve. Gratuito e misericordioso amor.

ADVENTO TEMPO DE VISITA DE DEUS

Tempo para anunciar a salvação de Deus "Como o sol nasce na aurora, de Maria, nascerá Aquele que a terra seca em jardim converterá."
O Advento, tempo de expectativa, de esperança e de conversão, está no coração da Igreja missionária e solidária.- expectativa-memória da primeira e humilde vinda do Senhor em nossa carne mortal;- expectativa-súplica em vista da última e gloriosa vinda de Cristo, Senhor da história e Juiz universal;- expectativa dos novos tempos anunciados pelo profeta Isaías e personificado em Maria.
A Liturgia do Advento convida à conversão pela voz dos profetas, sobretudo de João Batista: Convertei-vos, pois o Reino do Céus está Próximo (Mt 3,2); convida à esperança jubilosa de que a salvação já realizada por Cristo e as realidades da graça já presentes no mundo cheguem a sua maturidade e plenitude, quando a promessa se transformará em posse, a fé em visão e nós seremos semelhantes a Ele e O veremos assim como Ele é (1 Jo 3,2).

1° DOMINGO DO ADVENTO


Iniciamos mais um ano litúrgico, mais um itinerário de preparação para a encarnação de Jesus. É o tempo da luz e da procura do caminho do Senhor. O tempo da preparação da vinda do Senhor. E a sua vinda exige atenção e vigilância. Exige um olhar novo sobre a nossa vida. Exige a disponibilidade para a entrega. Exige que estejamos preparados porque o Filho do Homem vem de novo estar conosco e ser a nossa salvação.

O Advento é para aprender a esperar com paz e com amor, ao Senhor que vem. Nada de desespero ou impaciência que caracteriza ao homem deste tempo. Advento significa caminhar ao encontro de uma promessa já inaugurada e que terá seu momento último. Uma espera que não seja passiva e estéril, mas ativa, vigilante, sustentada pela fé, aberta à esperança.

Devemos vigiar porque «só quem está acordado não será pego de surpresa» Devemos estar preparados com o amor aceso no coração, como a tocha das virgens prudentes. Trata-se precisamente disso: chegará o momento no que se ouvirá: «‘O noivo está chegando. Ide acolhê-lo!’» (Mt 25,6), Jesus Cristo!

Vigiai, portanto, pois não sabeis em que dia virá o vosso Senhor (cf. Mt 24,42). Casa limpa, coração puro, pensamentos e afetos ao estilo de Jesus. Bento XVI explica: «Vigiar significa seguir o Senhor, escolher o que Cristo escolheu, amar o que Ele amou, conformar a própria vida com a sua». Então virá o Filho do homem... E o Pai nos acolherá entre seus braços por assemelharmos ao seu Filho.

Rachel Malavolti

sábado, 27 de novembro de 2010

O QUE É O ANO LITÚRGICO?

Preste atenção: o Ano Litúrgico é o calendário religioso da Igreja Católica. Ele também dura doze meses como o ano civil, mas não está dividido em meses e sim em cinco tempos litúrgicos: Avento, Natal, Quaresma, Páscoa e Comum. Esses tempos, de duração desigual, celebram a vida de Jesus, desde a sua encarnação no seio de Maria, passando pelo seu nascimento, paixão, morte, ressurreição até a sua ascensão. Ao longo desses tempos, a Igreja rememora e celebra todos os aspectos essenciais da vida de Jesus. É um pouco como na vida social em que são lembrados os aniversários de nascimento, casamento e morte de pessoas queridas, da mesma forma como na vida civil comemora-se o dia do descobrimento do Brasil, da Independência, da Abolição da Escravatura.
Da folhinha do Sagrado Coração de Jesus

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Dia 23 de Novembro
Tu és o nosso protetor.
São Francisco não se cansa de repetir os atributos de Deus, como o apaixonado que não cessa de declarar seu amor, fazendo-o com tanta sinceridade que parece sempre a primeira vez.Deus é nosso protetor e, em nossa pequena compreensão, isso significa ser quem nos defende, ampara, sustenta, protege, cuida de nossa segurança, incentiva.Assim podemos compreender em nossa limitação e falar com nossas palavras. Talvez, bastasse apenas entender com o coração e o espírito livres e abertos que somos dele e que Ele é nosso.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

PIPOCAS DA VIDA

Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho para sempre.
Assim acontece com a gente.
As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo.
Quem não passa pelo fogo, fica do mesmo jeito a vida inteira.
São pessoas de uma mesmice e uma dureza assombrosa.
Só que elas não percebem e acham que seu jeito de ser é o melhor jeito de ser. Mas, de repente, vem o fogo.
O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos: a dor.
Pode ser fogo de fora: perder um amor, perder um filho, o pai, a mãe, perder o emprego ou ficar pobre.
Pode ser fogo de dentro: pânico, medo, ansiedade, depressão ou sofrimento, cujas causas ignoramos.
Há sempre o recurso do remédio: apagar o fogo!
Sem fogo o sofrimento diminui.
Com isso, a possibilidade da grande transformação também.
Imagino que a pobre pipoca, fechada dentro da panela, lá dentro cada vez mais quente, pensa que sua hora chegou:
vai morrer.
Dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, ela não pode imaginar um destino diferente para si.
Não pode imaginar a transformação que está sendo preparada para ela.
A pipoca não imagina aquilo de que ela é capaz.
Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo a grande transformação acontece: BUM!
E ela aparece como outra coisa completamente diferente, algo que ela mesma nunca havia sonhado.
Bom, mas ainda temos o piruá, que é o milho de pipoca que se recusa a estourar.
São como aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar.
Elas acham que não pode existir coisa mais maravilhosa do que o jeito delas serem.
A presunção e o medo são a dura casca do milho que não estoura.
No entanto, o destino delas é triste, já que ficarão duras a vida inteira.
Deus é o fogo que amacia nosso coração, tirando o que nele há de melhor!
Acredite que para extrairmos o melhor de dentro de nós temos que, assim como a pipoca, passar pelas provas de Deus.
Talvez hoje você não entenda o motivo de estar passando por alguma coisa...
Mas tenha certeza que quanto mais quente o fogo, mas rápido a pipoca estoura.
Evangelize!!!!!
Dia 22 de Novembro
Tu és a suavidade.
Se a nossos limitados sentidos se impõe uma comparação para definir a suavidade de Deus, pensemos, pois, que Ele é suave como a brisa que suspira docemente, suave como a primeira luz que chama o dia, suave como a cantilena dos ventos a tremular sobre o mar calmo, suave como a dança do espírito de Deus no respirar das criancinhas.Deus é suave como a palavra de amor que não precisa ser dita, mas que se adivinha pelas entranhas, por todos os sentidos e enche a vida de Vida.
www.fatima.com.br

domingo, 21 de novembro de 2010

QUAL O DIA CERTO PARA MONTAR A ÁRVORE DE NATAL

Deve-se montar a árvore de Natal no Primeiro Domingo do Tempo do Advento. A decoração natalina deve ser desmontada no Dia de Reis, em 6 de janeiroUm dos grandes símbolos do período natalino, a árvore de Natal simboliza, segundo a tradição da Igreja Católica, a vida.
De acordo com o padre Gustavo Haas, assessor de liturgia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a árvore deve começar a ser montada no Primeiro Domingo do Tempo do Advento , quando se inicia o tempo do advento para a Igreja. Vale lembrar ainda que a árvore não deve ser montada toda de uma vez: o ideal é acrescentar enfeites e adereços aos poucos, durante as quatro semanas do advento, que é, para os católicos, tempo de preparação.
“Durante o Natal, no Hemisfério Norte, todas as árvores perdem as folhas, com exceção do pinheiro. Por isso, a árvore se tornou símbolo da vida, celebrada no Natal com o nascimento do menino Jesus”, diz Haas. De acordo com o religioso, a preparação da árvore deve ser intensificada durante a última semana que antecede o Natal. “Até o Segundo Domingo do Tempo do Advento , tudo ainda é muito sóbrio, mesmo nas leituras feitas nas missas do advento. É só a partir do Terceiro Domingo do Tempo do Advento que a Bíblia começa a falar do nascimento de Jesus, e se inicia um momento de maior expectativa. Esse é o momento, portanto, de intensificar a decoração da árvore”, afirma.
Dia 21 de Novembro
Tu és todo o nosso tesouro exuberante.
Nossos olhos só viram tesouros de fantasia, imagens virtuais, impalpáveis. Ouro de latão, diamantes de vidro, jóias de brinquedo. Tudo que se quebra, que mofa, que enferruja, que desbota.Deus é nosso tesouro. Mais exuberante que o mais puro ouro, mais precioso que a mais preciosa pedra, mais excepcionalmente belo que as jóias mais elegantes e raras. Inimaginável e inconcebível tesouro que cabe na arca de nosso coração.

SENITIDO DA FESTA DE CRISTO REI

A festa de Cristo Rei foi criada pelo papa Pio XI em 1925. Instituiu que fosse celebrada no último domingo de outubro. Agora, na reforma litúrgica passou ao último domingo do ano litúrgico como ponto de chegada de todo o mistério celebrado, para dar a entender que Ele é o fim para o qual se dirigem todas as coisas.
A criação desta festa tinha uma conotação política de grandiosidade. Quem, dos mais antigos, não foi da Cruzada Eucarística? Roupinha branca, fita amarela com cruz e dois traços azuis para os melhores. Qual era o comprimento? - Viva Cristo! – Rei! Este amor a Cristo Rei sustentou os cristãos na perseguição do México. Quantos mártires não entregaram a vida proclamando: Viva Cristo Rei! Quem sabe nos falte uma definição maior para o Reino de Cristo.
A oração da missa assim reza: “Deus que dispusestes restaurar todas as coisas em vosso Filho Amado, Rei do Universo, fazei que todas as criaturas, libertas da escravidão e servindo à vossa majestade vos glorifiquem eternamente”. Vejamos os termos: Rei do Universo, vossa majestade. Para este sentido endereça a primeira leitura: A glória do Filho do Homem - “Seu poder é poder eterno que não lhe será tirado e seu reino, um reino que não se dissolverá” (Dn l7,14). Cristo com sua morte e ressurreição foi feito o Senhor da Glória. Seu Reino não tem fim.

JESUS CRISTO REI DO UNIVERSO


A festa de hoje, ao encerrar o ano litúrigo, nos convida a celebrar Cristo como Rei do universo e Senhor da existência humana. Ele é o centro da vida e da história, a referência fundamental da comunidade cristã. Pelo mistério de sua encarnação, morte e ressurreição, Jesus nos mostrou que seu reinado difere de todos os reinados deste mundo. Ao renunciar à vaidade e à ambição, fez do amor e do serviço sua missão. A força de seu reinado está na perdão que salva. A afirmação "hoje mesmo estarás comigo no paraíso", mais do que uma promessa, cosiste na certeza da salvação em Jesus oferecida a todo ser humano. Portanto, celebramos a soberania de Jesus e com ela a nossa salvação.

Rachel Malavolti

sábado, 20 de novembro de 2010

Dia 20 de Novembro
Tu és a nossa temperança.
Por que se controlar, por que não ser “sincero” e agir conforme o impulso, a emoção, a paixão? Por que não fazer sempre a minha vontade e à minha maneira? Acaso não seria eu livre?É, precisamente, porque sou livre que posso e devo ser temperante. Do contrário, seria escravo de meus impulsos, de minhas emoções. Do contrário, meu senhor seria meu instável temperamento.E meu Senhor é Cristo Jesus, nossa temperança, nossa humanidade nos traços de Deus.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Dia 19 de Novembro

Tu és a nossa justiça.

Mais do que ser a justiça, Cristo Rei é a nossa justiça.

Isso o torna o nosso critério e a nossa escolha. Isso nos redimensiona na história, visto que Ele nos justifica, nos aponta caminhos e nos guarda nos seus, mas não nos tira os desafios.

Sendo Cristo nossa justiça, sabemos que nosso julgamento será sobre o amor; sobre a justiça vivida, não sobre a justiça sonhada, idealizada, falada...

www.fatima.com.br

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Dia 18 de Novembro

Tu és a nossa esperança.

Virtude forte é a esperança.

É a esperança como uma candeia no meio da noite densa, como uma rocha no meio da tempestade, como um farol no mar incerto, como uma âncora para o barco perdido no nevoeiro.

É a esperança que nos faz ver Deus no invisível e o torna concreto e palpável. É a esperança que nos ampara junto ao leito dos doentes, que nos estimula sobre o microscópio em busca de respostas, que nos faz mudar os planos e cruzar as fronteiras.

Atrás da virtude, está seu cerne: Deus é a nossa esperança.

www.fatima.com.br

Dia 17 de Novembro

Tu és a alegria e a felicidade.

Queremos a felicidade e buscamos nos alegrar, como uma meta para a vida e para os momentos. Mas a felicidade não exige a alegria, mas a faz nascer; a alegria não revela a felicidade, mas estimula seu crescimento. A alegria brota nos gestos, no rosto, na fala; a felicidade circula na alma, nos anos, na vida toda.

Em Deus se encontra a felicidade e desse encontro com Ele, pulsa a alegria. Uma alegria que não precisa de motivo, porque a festa acontece no coração por Ele amado.
www.fatima.com.br

Dia 16 de Novembro

Tu és o repouso.

Nossos dias correm ao sabor de uma velocidade que não escolhemos. Parece que nos deixamos levar pelas turbulências de um vôo que dá voltas ao redor de nada. Estamos quase sempre cansados, reclamando de uma fadiga que se instala no corpo, se aloja na mente e se infiltra no espírito. Talvez fosse bom pensarmos onde colocamos o nosso tesouro, para ver se ali está também o nosso coração.

Diante disso, Deus nos oferece seu regaço, para ser o nosso repouso.

www.fatima.com.br

Dia 15 de Novembro

Tu és a segurança.

Pensando com frieza, vivemos na insegurança: inseguros quanto à nossa saúde, ao emprego, à aposentadoria, à confiabilidade das instituições, às relações, ao futuro do meio ambiente... acumulam-se inseguranças que tentamos evitar e prever a todo custo.

Imutável e fiel em relação a nós, apenas Deus.

A segurança que Ele oferece transcende o âmbito físico, mas não o ignora e o protege. Ele não nos oferece um plano de saúde, nem um seguro de vida, mas nos dá um plano de amor e a segurança e o sentido da vida.

Deus bom e fel.
www.fatima.com.br

Dia 14 de Novembro

Tu és a beleza.

A essência da beleza e sua fonte. A inspiração e o fomento de toda beleza.

A soma de toda a beleza da criação e das criaturas ainda não se aproxima da imensidade da beleza de Deus, mas a espelha e a evoca.

A multiplicação ao infinito de toda a arte ainda não se aproxima da beleza de Deus, mas dela brota e nela se plasma, e nela se eterniza.

Bela é a face de Deus e quem dela se aproxima, ainda que não a veja, fica seduzido por sua inefável beleza.
www.fatima.com.br

Dia 13 de Novembro

Tu és a paciência.

Deus paciente, à espera de nosso olhar, de nosso passo, de nosso desejo, de nossa confiança, de nosso amor.

Deus paciente, a não interferir nos rumos que damos à história, nos caminhos das filosofias e das ciências, na liberdade.

Deus paciente, a ver nossa mediocridade, nosso poder, nossa prepotência em aprisioná-lo em conceitos e tratados, em palavras e teses.

Deus paciente e apaixonado.

Piedade, Senhor!
www.fatima.com.br

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Dia 12 de Novembro

Tu és a humildade.

Para muitos pode ser um paradoxo: Deus, todo-poderoso, criador e Senhor, sabedoria suprema, é a humildade. E não apenas humildade, mas a própria humildade.

Não se trata de contra-senso, paradoxo ou antítese, mas, verdadeiramente, Deus é a humildade. E dá provas disso, correndo o risco de ser desprezado, esquecido, ridicularizado, crucificado. É propriamente sua humildade que desconcerta, que desarma, que abre o cerco e que o faz se revelar aos simples de espírito, que o faz se encarnar entre os pobres e ser coroado como rei.
www.fatima.com.br

Dia 11 de Novembro

Tu és a sabedoria.

Todo conhecimento e tudo o que, no decorrer dos séculos, a humanidade descobriu, inventou, pensou, construiu, criou, e também tudo o que a humanidade ainda vai criar e descobrir. Tudo, no antes e no depois, no princípio e no sempre, eternamente já está na sabedoria de Deus. Tudo e o ilimitado, tudo e inimaginável, tudo e o insondável.

Nada define a sabedoria de Deus. Deus é.

www.fatima.com.br

Dia 10 de Novembro

Tu és o amor, a caridade.

Amor e caridade. Duas margens iguais de um mesmo rio no qual navegam o coração de Deus e o coração do ser humano.

Se o amor insufla, a caridade o semeia ao vento, por toda parte. Se o amor desinstala, a caridade caminha, age, luta. Se o amor nutre e revigora, a caridade multiplica-se, cria, inventa, reparte-se.

Deus é amor e caridade e nos convida à sua tenda.

www.fatima.com.br

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Dia 9 de Novembro

Tu és o Senhor Deus, vivo e verdadeiro.

Senhor. Deus vivo. Deus verdadeiro.

Só de pronunciá-las, essas palavras já enchem a alma, como se apenas à sua articulação física, desencadeasse um movimento dinâmico do espírito sedento.

Deus vivo preenche a nossa expectativa completa de ser, dá brilho e calor à nossa existência.

Deus verdadeiro coloca-nos na dimensão do eterno, do seguro, do incomensurável profundo e inexplicavelmente desejado por todas as nossas células.

Senhor Deus, vivo e verdadeiro.

www.fatima.com.br

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Dia 8 de Novembro

Tu és o Bem, todo o Bem, o mais elevado Bem.

O Bem é tudo o que pode existir de melhor, de mais puro, de mais verdadeiro e precioso. Para o Bem, convergem todas as forças dos justos, dos que amam, dos que lutam pela paz.

O Bem é o tesouro invisível que corre nas veias da humanidade e que a impulsiona em direção à face de Deus.

Por isso, Deus é todo o Bem, o mais elevado Bem.

www.fatima.com.br

domingo, 7 de novembro de 2010

Dia 7 de Novembro

Tu és três em um.

Mistério. Mistério que não se reduz, não se esconde, não cria temor.

Mistério. Mistério que se expande, que se revela, que se multiplica em amor.

Francisco fica extasiado diante do mistério do Deus trino, comunhão perfeita, identificação plena, dom maior.

O mistério de Deus não se contém e se faz carne. Esse corpo frágil viveu entre nós, na miserabilidade de nosso nada. E o amou até o fim.

www.fatima.com.br

sábado, 6 de novembro de 2010

Dia 6 de Novembro

Tu és o Pai sagrado, Rei do céu e da terra.

Doce é a palavra pai na boca de Jesus: “Abba, meu pai querido”.

Sendo Deus Pai e Rei, somos filhos e príncipes.

Talvez fosse bom repensar em nossa filiação e em nossa nobreza, porque o cotidiano nem sempre nos favorece e nos leva a viver como escravos.

Mas, se nesse mesmo cotidiano, não vivermos como filhos e príncipes, corremos o risco de ficarmos na praia, enquanto nos aguardam o oceano imenso e os horizontes sem fim.

www.fatima.com.br

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Dia 5 de Novembro

Tu és o Rei todo-poderoso.

O significado primitivo da palavra rei nos remete a um caráter religioso. Nos tempos mais remotos, o rei tinha funções não apenas administrativas, mas espirituais. Era como o protetor de um povo, seu máximo defensor e intercessor diante dos deuses. Se houvesse uma batalha, era ele que ia à frente, guiando seus soldados, defendendo o povo com a própria vida.

Jesus é rei nesse sentido. Acrescente-se a isso, um infinito e apaixonado amor.

www.fatima.com.br

Dia 4 de Novembro

Tu és o Ser Supremo.

Quando uma pessoa se destaca por uma excepcional característica, dizemos que é incomparável. Todavia, é quando nos referimos Deus que esse termo é adequado. A quem podemos comparar Deus? A resposta não existe no âmbito da razão. Sabe a resposta, ou melhor, pressente-a no fundo de seu coração, quem ama.

Não há ninguém como Deus e, contudo, é possível senti-lo, percebê-lo, como não se pode fazer com ninguém. Há uma sabedoria da fé que dilata o espírito e o predispõe à plenitude.

www.fatima.com.br

Dia 3 de Novembro


Tu és maravilhoso.

Francisco tinha o coração amolecido de tanto amor por Cristo Jesus. E de sua boca, as palavras corriam doces quando falavam do que lhe ia na alma. Não é de se admirar que, como uma criança, diga a Deus o quanto Ele é maravilhoso. E ser maravilhoso não significa fazer maravilhas apenas, ainda que isso também seja tão verdade. Ser maravilhoso significa ser perfeito e admirável, deter todas as qualidades possíveis, ser de grande beleza e suscitar no coração de quem o admira, enorme e indizível fascínio.

Que nosso coração seja, assim como o de Francisco, fascinado e seduzido pelo Senhor.
www.fatima.com.br

terça-feira, 2 de novembro de 2010

COMEMORAÇÃO DOS FIÉIS DEFUNTOS

Hoje, com toda a Igreja, somos convidados a rezar pelos nossos entes queridos que já partiram desta vida e que se encontram junto de Deus, intercedendo por cada um de nós. Somos convidados a rezar pelos que se purificam no purgatório, para poderem contemplar a Deus na visão beatífica. Também somos convidados a rezar e, em Deus, transcender a dor da perda e saborerar a dor da saudade. Não é fácil!

Dia de silêncio, saudades, esperança e preces.Levamos flores aos túmulos. Elevamos ao céu muitas preces. Visitamos o cemitério.Certamente em todos esses gestos e devoções está presente a nossa fé na Ressurreição.

A Liturgia de hoje nos lembra a "Morte", não para nos amedrontar, mas para nos fazer descobrir o sentido desta vida e a alegre verdade sobre a qual está fundamentada a nossa fé: a Ressurreição.Pensar na morte não é uma perda de tempo, pelo contrário é uma luz que nos ajuda a fazer escolhas certas durante a vida. Por isso, a Palavra de Deus de hoje não quer comunicar medo e angústia, mas a alegria de quem recebeu do alto a luz da Páscoa, que ilumina cada sepultura.

Na ocasião do Evangelho de hoje, João relata a morte de Lázaro e, consequentemente, a dor de Marta pela perda do irmão. Ela, quando Cristo chega, desabafa: ”Senhor, se tivesses estado aqui, meu irmão não teria morrido”. Muitos ”amigos” estavam na casa pela morte de Lázaro; mas por que Marta espera Jesus chegar para desabafar a dor do coração? Porque há momentos na vida em que nem o melhor amigo nosso terá condições de nos consolar; no máximo, ele nos mostrará – com a vida –, o Senhor, pois, somente Ele pode nos entender e nos consolar.

Precisamos nos perguntar: onde e com quem estamos buscando superar a dor das nossas perdas? Se é com um amigo você pode estar comprometendo a linda amizade que construiu, pois ele não terá condições de entender você. Não devemos dar responsabilidade para quem não pode, ou seja, busquemos nos nossos amigos a força para irmos até Jesus: o Único que pode nos entender e consolar, pois nos olha e nos entende por dentro, pois se encontra no mais íntimo de nós. Só Cristo pode nos sustentar em nosso sofrimento. Onde e com quem estamos vivendo a dor do nosso sofrimento? Muitos estavam ali na casa de Marta, mas ela esperou chegar Aquele que poderia compreendê-la verdadeiramente: Jesus Cristo.

Como Marta nós somos chamados a transformar o mundo e cada um de nós por intermédio do trabalho sério, comprometido e santificado; o maior trabalho que podemos realizar para a transformação do mundo é transformarmos o nosso interior, trazendo Deus como o centro. Marta aprende com sua irmã, Maria, que devemos escolher a melhor parte, aquela que não nos será tirada. Na vida, tudo perderemos e aquilo que achamos ter perceberemos – mais cedo ou mais tarde – que nunca tivemos. Aquilo que nunca nos será tirado é o que tivermos construído em Deus e para Deus.

Queremos aprender com Santa Marta, neste dia de comemoração dos fiéis defuntos, que na vida somos aquilo que construímos enquanto relação com Deus, colocando nossos dons e nossas qualidades a serviço dos irmãos.

Rachel Malavolti

Dia 2 de Novembro

Tu és forte.

Como é a força de Cristo Rei? Por que não arrasou o império que Pilatos defendia? Por que não chamou os anjos para servi-lo? Por que não desceu da cruz e convenceu os que o condenaram?

A força de Cristo Rei não cabe no pensamento humano lógico, porque é uma força de silêncio e verdade; é a força que liberta e não oprime ou escraviza. A força desse Rei está na sua fraqueza em se encarnar e viver como nós. Somos nada e Ele se torna tudo por nós.
www.fatima.com.br


Dia 1 de Novembro

Tu és sagrado, Senhor, o Deus que realiza maravilhas.

Nossos tempos de técnica e velocidade, de realidade virtual e avanços antes inconcebíveis, estão nos esvaziando o sentido do sagrado. E não podemos viver sem ele, visto que pulsa em nós sua essência e seu desejo. Não basta olhar o céu e atribuir sua imensidão a um “ser maior”. Urge descobrir a sacralidade de nossa vida e o sopro de Deus no respirar de todo o universo e de toda criatura.

Nossos tempos não ofuscam as maravilhas de Deus.
www.fatima.com.br

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

SOLENIDADE DE TODOS OS SANTOS

Hoje, a Igreja não celebra a santidade de um cristão que se encontra no Céu, mas sim, de todos. Isto, para mostrar concretamente, a vocação universal de todos para a felicidade eterna.

"Todos os fiéis cristãos, de qualquer estado ou ordem, são chamados à plenitude da vida cristã e à perfeição da caridade. Todos são chamados à santidade: 'Deveis ser perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito' "(Mt 5,48) (CIC 2013).

Sendo assim, nós passamos a compreender o início do sermão do Abade São Bernardo: "Para que louvar os santos, para que glorificá-los? Para que, enfim, esta solenidade? Que lhes importam as honras terrenas? A eles que, segundo a promessa do Filho, o Pai celeste glorifica? Os santos não precisam de nossas homenagens. Não há dúvida alguma, se veneramos os santos, o interesse é nosso, não deles".

Sabemos que desde os primeiros séculos os cristãos praticam o culto dos santos, a começar pelos mártires, por isto hoje vivemos esta Tradição, na qual nossa Mãe Igreja convida-nos a contemplarmos os nossos "heróis" da fé, esperança e caridade. Na verdade é um convite a olharmos para o Alto, pois neste mundo escurecido pelo pecado, brilham no Céu com a luz do triunfo e esperança daqueles que viveram e morreram em Cristo, por Cristo e com Cristo, formando uma "constelação", já que São João viu: "Era uma imensa multidão, que ninguém podia contar, de todas as nações, tribos, povos e línguas" (Ap 7,9).

Todos estes combatentes de Deus, merecem nossa imitação, pois foram adolescentes, jovens, homens casados, mães de família, operários, empregados, patrões, sacerdotes, pobres mendigos, profissionais, militares ou religiosos que se tornaram um sinal do que o Espírito Santo pode fazer num ser humano que se decide a viver o Evangelho que atua na Igreja e na sociedade. Portanto, a vida destes acabaram virando proposta para nós, uma vez que passaram fome, apelos carnais, perseguições, alegrias, situações de pecado, profundos arrependimentos, sede, doenças, sofrimentos por calúnia, ódio, falta de amor e injustiças; tudo isto, e mais o que constituem o cotidiano dos seguidores de Cristo que enfrentam os embates da vida sem perderem o entusiasmo pela Pátria definitiva, pois "não sois mais estrangeiros, nem migrantes; sois concidadãos dos santos, sois da Família de Deus" (Ef 2,19).

Neste dia a Mãe Igreja faz este apelo a todos nós, seus filhos: "O apelo à plenitude da vida cristã e à perfeição da caridade se dirige a todos os fiéis cristãos." "A perfeição cristã só tem um limite: ser ilimitada" (CIC 2028).

Todos os santos de Deus, rogai por nós!

domingo, 31 de outubro de 2010

31° DOMINGO DO TEMPO COMUM

Jesus encontra com Zaqueu, conforme esta narrativa exclusiva do Evangelho de Lucas. Lucas, um bom literato, realça com poucos traços os personagens sobre os quais discorre. Zaqueu é apresentado como figura vivaz e simpática. Ele era chefe dos publicanos e muito rico, o que não o impede de sentir-se atraído por Jesus. Quando Jesus atravessava a cidade, acompanhado pela multidão, Zaqueu queria vê-lo, mas não conseguia porque era baixinho. Então, de maneira ousada e desinibida, corre mais adiante para um lugar onde ele iria passar e, antes que outro chegue, sobe
em uma árvore, para vê-lo. Fica manifesto, assim, o entusiasmo e o interesse de Zaqueu por Jesus. Levantando os olhos, ele o percebe e propõe ficar em sua casa, naquele dia. Como no Judaísmo havia forte discriminação contra os publicanos, as pessoas começaram a murmurar pelo fato de Jesus hospedar-se na casa de Zaqueu. Recebendo Jesus, Zaqueu, prontamente, manifesta sua conversão, declarando-se disposto a restabelecer a justiça, partilhando sua riqueza com os pobres e restituindo a quem tenha defraudado.

Com esta sua narrativa, Lucas faz um contraste entre Zaqueu, um publicano excluído do Judaísmo, que recebe Jesus em sua casa com alegria e contrição, e um chefe fariseu que, anteriormente, havia convidado Jesus para uma refeição, com desconfiança e censuras.

Poderemos fazer que nosso mundo escute essa voz de Alguém que nos chama pelo nosso nome, sem usar-nos nem manipular-nos, sem jogar mais terra em cima de nós, sem sinalizar inutilmente todas as regiões escuras da nossa sociedade e das nossas vidas pessoais, mas simplesmente colocando luz sobre elas? Queira o Senhor visitar também hoje a casa deste mundo e desta humanidade. Será o milagre de voltar a começar para quem acolher Jesus, como Zaqueu.

Jesus vem revelar a misericórdia do Pai que perdoa os pecados e convida todos à conversão (primeira leitura), indiscriminadamente. A obra da fé de quem se converte é a prática do bem, da justiça e da partilha; assim Deus é glorificado (segunda leitura).

Rachel Malavolti

Dia 31 de outubro

Oração a São Francisco:

Francisco, pobre de Deus, príncipe do Senhor,
a ti venho com confiança e alegria,
porque todos que se aproximam de ti
sentem a alegria do amor de Deus e
a felicidade que só dele brota e
só nele se nutre e plenifica.
Ensina-me a ser assim de Deus
como tu o foste sempre,
que eu encontre nele meu tudo,
que seja Ele meu Bem, meu único Bem.
Ajuda-me a abrir o coração e as mãos
para os pobres, os leprosos de meu tempo,
os rejeitados de minha cidade,
para que, neles, eu sirva,
fiel e eternamente, ao Senhor Altíssimo.Amém!

www.fatima.com.br

sábado, 30 de outubro de 2010

Dia 30 de outubro

São Francisco recomendava a seus seguidores atitudes bem concretas:

’“Vós deveis anunciar e orar a Sua glória a todas as pessoas, de modo que, a cada hora e sempre que os sinos soarem, as pessoas na terra possam louvar e agradecer a Deus Todo-Poderoso”.

www.fatima.com.br

Dia 29 de outubro

Nos famosos Fioretti, encontramos cenas comoventes da vida de São Francisco:

“Levantando os olhos e as mãos para os céus, Francisco orou com grande devoção e fervor, dizendo:

Meu Deus e meu tudo!’

Nada mais dizia além disso, chorando copiosamente até a aurora”.

www.fatima.com.br

Dia 28 de outubro

São Francisco, na Carta à Ordem, recomenda:

“ Nós que recebemos a incumbência de tratar das coisas divinas, devemos não somente ouvir e cumprir o que Deus fala, mas, além disso, estabelecer em nós a transcendência de nosso Criador e, em obediência a Ele, devemos ter um cuidado reverente com os vasos sagrados e com os livros litúrgicos que encerram suas palavras sagradas”.

www.fatima.com.br

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Dia 27 de outubro

Ainda nas Admoestações, fonte de rica sabedoria espiritual, São Francisco comenta as Bem-Aventuranças:

“’Bem-aventurados os pacíficos, porque eles serão chamados filhos de Deus’ (Mt 5,9). São verdadeiramente pacíficos os que, no meio de tudo quanto padecem neste mundo, se conservam em paz interior e exteriormente, por amor de Nosso Senhor Jesus Cristo”.

‘Bem-aventurados os puros de coração, porque eles verão a Deus’ (Mt 5,8). Têm o coração puro os que, desprezando as coisas terrenas, procuram as celestiais e, de coração e espírito puros, não cessam de adorar e de ver sempre o Deus vivo e verdadeiro”.

www.fatima.com.br

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Dia 26 de outubro

Também nas Admoestações, vemos como São Francisco recomenda unir a inteligência à boa ação:

“Diz o Apóstolo: ‘A letra mata, mas o espírito vivifica’ (2Cor 3,6). São mortos pela letra os que tão-somente querem saber as palavras, a fim de parecerem mais sábios que os outros e adquirir grandes riquezas e dá-las aos parentes e amigos. São ainda mortos pela letra aqueles que não querem seguir o espírito das Sagradas Escrituras, mas só se esforçam para saber as palavras e interpretá-las aos outros. São, porém, vivificados pelo espírito das Sagradas Escrituras aqueles que tratam de penetrar mais a fundo em cada letra que conhecem, nem atribuem o seu saber ao próprio eu, mas pela palavra e pelo exemplo o restituem a Deus, seu supremo Senhor, ao qual todo bem pertence”.

www.fatima.com.br

Dia 25 de outubro

Nas Admoestações, São Francisco assim fala a respeito da Eucaristia:

“E como Jesus Cristo apareceu aos santos apóstolos em verdadeira carne, também a nós se nos mostra hoje no pão sagrado. E do mesmo modo que eles, enxergando sua carne, não viam senão sua carne, contemplando-o, contudo, com seus olhos espirituais, creram nele como seu Senhor e Deus, assim também nós, vendo o pão e o vinho, com nossos olhos corporais, olhemos e creiamos firmemente que está presente o santíssimo corpo e sangue vivo e verdadeiro”.


www.fatima.com.br

domingo, 24 de outubro de 2010

30° DOMINGO DO TEMPO COMUM

Na 1ª Leitura, Deus afirma que escuta as sua súplicas os humildes: "A oração do humilde penetra as nuvens..." (Eclo 35,15a-17.20-22a) A nossa oração só tem valor e é acolhida por Deus, quando parte de um coração pobre, humilde e justo e é solidária com todos os oprimidos e empobrecidos.

Na 2ª Leitura, Paulo, velho, preso, condenado à morte, medita e reza sobre a sua vida. (1Tm 4,6-8.16-18) "Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé..." É o testamento de alguém que está com a consciência do dever cumprido e aguarda com humildade e confiança a recompensa de Deus.

No Evangelho, Jesus mostra a oração humilde de um pecador, que se apresenta diante de Deus de mãos vazias, mas disposto a acolher o Dom de Deus. (Lc 18,9-14)

O fariseu, um observante escrupuloso da Lei, de pé, com os braços levantados e a cabeça erguida, agradece por ser "separado", ou seja, diferente dos demais, considerados pecadores. Na Oração, ao invés de louvar a Deus, louva-se a si mesmo.

O publicano é alguém que, trabalhando como cobrador de impostos, a serviço das autoridades locais estabelecidas pela ocupação romana, é discriminado e humilhado pelo sistema religioso oficial, sendo considerado pecador. Porém, com humildade coloca sua confiança em Deus. O publicano, por sua vez, recorre a Deus com humildade. Está consciente de sua fragilidade e busca em Deus seu amparo e proteção.

O FARISAÍSMO é uma atitude religiosa que nos impede de ver-nos como somos e deturpa nossa relação com Deus e com os irmãos.

Ninguém está isento da contaminação dessa perene soberba humana.

PUBLICANOS são todos aqueles que tomam consciência de seus erros e pedem perdão.

- Quais são os sentimentos que animam o nosso coração na Oração?

Rachel Malavolti

Dia 24 de outubro

Na Legenda Perusina, acumulam-se histórias a respeito do amor atencioso de São Francisco pelos pobres:

“Um dia, um pobre, coberto de farrapos, chegou a um eremitério dos frades, pedindo, por amor de Deus, roupa de vestir. O bem-aventurado Francisco mandou procurar por toda a casa um pedaço de pano ou peça de roupa que servisse. Voltou o irmão dizendo que nada tinha encontrado.
Para que o pobre não fosse embora de mãos vazias, o bem-aventurado Francisco, às escondidas, para que o guardião não o impedisse, pega numa faca e descose o pedaço de pano que trazia por dentro da túnica, para dá-lo secretamente ao pobre. Mas o guardião, que tudo notara, não permitiu, porque o frio era muito e o santo andava muito doente. Então disse ao guardião: ‘Se não queres que eu dê este pedaço ao nosso irmão pobre, terás que arranjar outro pano’. Como puderam, os frades, das próprias roupas, lá conseguiram dar ao pobre um pedaço de pano”.


www.fatima.com.br

sábado, 23 de outubro de 2010

Dia 23 de outubro

Nos Fragmentos de Outra Regra não-bulada, São Francisco exorta:

“Atribuamos a Deus altíssimo e supremo todos os bens e reconheçamos que todos lhe pertencem. E Ele receba todas as honras e reverências, todos os louvores e bênçãos, todas as graças e glórias, ao qual se deve todo bem, a Ele, o único bom.

E todas as vezes que ouvirmos os homens dizerem mal de Deus ou blasfemar, nós façamos o bem, bendigamos e louvemos o Senhor, que é bendito por todos os séculos”.


www.fatima.com.br

Dia 22 de outubro

Na Carta a todos os fiéis, São Francisco nos lembra:

“ Como é honroso e santo ter no céu um Pai! Como é santo, consolador e deleitável ter no céu um esposo! Como é santo, e como é querido, agradável, aprazível, humilde, tranqüilizador, doce, amorável e sobre todas as coisas desejável ter um tal irmão que entregou sua vida por suas ovelhas e por nós orou ao Pai, dizendo:
‘Pai santo, guarda em teu nome os que me deste’ ”.

www.fatima.com.br

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Dia 21 de outubro

Oração atribuída a São Francisco de Assis, expressando com clareza o amor apaixonado e incondicional que dedicava a Deus:

“Possa o poder doce e abrasador do vosso amor, ó meu Senhor, afastar-me de todas as coisas sob os céus, para que eu possa morrer de amor pelo vosso amor, que aceitou morrer por amor do meu amor”.


www.fatima.com.br

Dia 20 de outubro

Comenta Tomás de Celano como São Francisco ensinava a humildade com a própria vida:

“Era humilde de presença, mais humilde de sentimento e muito mais humilde no modo de pensar. Príncipe de Deus, não se destacava pela posição em que tinha sido posto, mas unicamente por uma preciosa jóia: conseguira ser o mínimo entre os menores. Essa era a virtude, esse era o título, esse era o único sinal que indicava ser ele o ministro geral. Tinha afastado de sua boca toda grandiosidade, e também toda pompa de seus gestos e todo fausto de suas ações. Sabia por revelação o sentido de muitas coisas, mas, diante dos outros, deixava que prevalecesse a opinião deles. Achava que as idéias de seus companheiros eram mais garantidas e que a opinião dos outros era melhor que a dele”.

www.fatima.com.br

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Dia 19 de outubro

Dia das missões

Na Regra não-bulada ( de1221), São Francisco assim recomenda a respeito das missões em terra dos sarracenos:

“Os irmãos que partirem poderão proceder de duas maneiras espiritualmente: o primeiro modo consiste em absterem-se de rixas e disputas, submetendo-se ‘a todos os homens por causa do Senhor’ e confessando serem cristãos. O outro modo é anunciar a palavra de Deus quando o julgarem agradável ao Senhor: que creiam no Deus todo-poderoso”.


www.fatima.com.br

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Dia 18 de outubro

Nas Admoestações escritas por São Francisco, encontramos sábios conselhos para o crescimento interior:

“Todo aquele que tem inveja do seu irmão, por causa do bem que o Senhor por ele diz e faz, comete pecado de blasfêmia, porque tem inveja do próprio Altíssimo, que é quem diz e faz todo bem”.

“Eis o meio de reconhecer se o servo de Deus tem o Espírito do Senhor. Se Deus por meio dele operar alguma boa obra e ele não o atribuir a si, pois o seu próprio eu é sempre inimigo de todo bem, mas antes, considerar como ele próprio é insignificante e se julgar menor que todos os outros homens”.

“Bem-aventurado o homem que suporta o seu próximo com suas fraqueza tanto quanto quisera ser suportado por ele, se estivesse na mesma situação”.


www.fatima.com.br

domingo, 17 de outubro de 2010

29° DOMINGO DO TEMPO COMUM

Nos Evangelhos, particularmente em Lucas, são revelados a importância e os vários aspectos da oração. A oração é o pedir, com fé, associado ao agir.
Jesus conta uma parábola para mostrar aos discípulos a necessidade de rezar sempre e nunca desistir.
A viúva da parábola vai à procura do juiz para fazer seu pedido por justiça. Ela, sofredora e oprimida, não se cansa em insistir no pedido. O juiz, instalado no seu comodismo, sente-se importunado e é abalado pela insistência da viúva. A viúva é a expressão da categoria dos excluídos e oprimidos da sociedade. O juiz é a expressão da classe dirigente, elitista e opressora. A insistência e a perseverança da viúva vencem a indiferença e a omissão do juiz iníquo. Se o pedido insistente da viúva demoveu o juiz iníquo de sua posição omissa, com maior razão Deus fará justiça aos seus, que a ele clamam dia e noite. É o clamor do seu povo, oprimido por um poder injusto, violento, e idólatra do dinheiro. Este poder acumula as riquezas que deveriam ser destinadas à promoção da vida no mundo e as aplica nas fabulosas e sofisticadas armas de destruição. É o clamor que também exprime o desejo de uma nova sociedade, fundada nos valores humanos de dignidade, fraternidade e partilha, com o desabrochar da vida plena para todos.
Os discípulos de Jesus, reunidos em comunidades, hoje, são chamados a viverem a fé e a proclamação da Palavra com perseverança e na justiça (segunda leitura), rompendo com os falsos valores da sociedade injusta, submissa à ideologia do poder do dinheiro.
Rachel Malavolti